O principal objetivo da operação é buscar a recuperação ambiental das áreas degradadas

O balanço parcial da Operação Nacional Mata Atlântica em Pé, divulgado na tarde desta quinta-feira (13) pelo Ministério Público, aponta o desmatamento de 2.890 hectares de mata no Brasil.

Durante a operação, realizada de segunda a quarta-feira desta semana (10 a 12 de setembro), foram fiscalizados 282 propriedades previamente definidas a partir de imagens de satélite. Foram apreendidos 5.089 metros cúbicos de madeira e emitidas multas no valor total de R$ 12.942.667,00. Em quatro estados (São Paulo, Ceará, Goiás e Minas Gerais), a operação se estendeu por mais dois dias e só será encerrada nesta sexta-feira, 14 de setembro. Outros dois estados (Santa Catarina e Rio Grande do Sul), além desses, ainda não totalizaram os dados.

O Ministério Público do Paraná já havia realizado a Operação Mata Atlântica em Pé em âmbito estadual. Na ocasião, foram fiscalizados 51 polígonos, nos municípios de Guarapuava, Prudentópolis, Inácio Martins e Pinhão. A operação constatou o desmatamento de 618 hectares. Foram emitidos 22 autuações, no valor total de R$ 2.193.000,00, com prisão em flagrante de duas pessoas por crime ambiental e apreensão de 1.500 metros cúbicos de madeira.

A operação nacional amplia a fiscalização para um nível sem precedentes. “A efetividade da fiscalização é fundamental para coibir mais desmatamentos”, defende o promotor de justiça Alexandre Gaio, coordenador nacional da operação. O principal objetivo é buscar a recuperação ambiental das áreas degradadas, que podem levar décadas para se refazerem.

O bioma da Mata Atlântica está presente em 17 estados brasileiros e cobre (em sua extensão original) cerca de 13% do território nacional, onde vivem aproximadamente 140 milhões de pessoas, que dependem das múltiplas funções ambientais da Mata Atlântica.

Restam apenas cerca de 10% da mata original. Apesar disso, continuam ocorrendo desmatamentos em toda a sua extensão.

A Operação Nacional Mata Atlântica em Pé contou com a participação de polícias ambientais e órgãos públicos da área dos seguintes estados: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí e Ceará.

Reparação:

A Operação Nacional Mata Atlântica em Pé busca a proteção e a recuperação do bioma a partir da identificação das áreas degradadas nos últimos anos e dos responsáveis pelas agressões, para cobrar a reparação dos danos e outras medidas compensatórias.

Os trabalhos de fiscalização foram conduzidos e coordenados por equipes formadas por representantes dos Ministérios Públicos, órgãos públicos ambientais e polícia ambiental de cada estado participante, a partir da organização e planejamento idealizados pelo Ministério Público do Paraná.

Fonte Paraná Portal

Carlos Moraes

Carlos Moraes

Carlos Moraes, natural da cidade de Maringá – PR, jornalista, publicitário, formado em Marketing e pós graduado em gestão pública com enfase em cidades. É atualmente apresentador de Catve, empresário e palestrante com especialidade em implantação de programação local e regional em emissoras de TV. Moraes já trabalhou como repórter e apresentador em TVs afiliadas a Rede Globo, Bandeirantes, Rede TV, SBT, Educativa, Record e CNT. Fundou o jornal “Agora Paraná” na região metropolitana de Curitiba. Já escreveu nos principais jornais impressos do Paraná e trabalhou na implantação programas em diversas emissoras de rádio Brasil a fora. Em Cascavel trabalhou nas Rádios Colméia e Independência!

Ver todas as postagens

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *