©  2020. Carlos Moraes. Todos os direitos reservados.

São Paulo - SP - Brasil

Tel: 11-99195-3642

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram
  • YouTube

Bioeletrografia ou Foto Kirlian

Bioeletrografia

A IUMAB - International Union of Medical and Applied Bioelectrography (União Internacional de Medicina e Bioeletrografia Aplicada), fundada em 1987 e sediada na Finlândia é a entidade responsável pela Bioeletrografia no mundo, tratando-se de uma Entidade Científica de âmbito mundial que coordena, promove, difunde e incentiva as pesquisas Bioeletrográficas em todas as áreas (Medicina, Farmácia Alopática, Farmácia Homeopática, Psicossomática, Acupuntura, Psicologia, Agronomia, Veterinária, Mineralogia, dentre outras). No Brasil, ela está sediada na cidade de Curitiba/PR, através de seus representantes Newton Milhomens e Selma Milhomens.

Newton Milhomens, foi o brasileiro pioneiro na pesquisa da Kirliangrafia desde 1968 no Brasil e criador do Padrão Milhomens Bioeletrográfico. A partir de 1981, já era capaz de fazer diagnósticos de saúde orgânica e psíquica de seres humanos, através das Fotos Kirlian, resultado de suas pesquisas nesta área. Em 1986, no I Simpósio Brasileiro de Kirliangrafia foi oficializado seu padrão Kirliangráfico. Em julho de 2000, esteve em São Petersburgo, na Rússia, em Congresso Internacional de Kirliangrafia como convidado de honra, no qual foi homenageado pelos cientistas presentes por ter sido considerado como o primeiro pesquisador do mundo a conseguir diagnosticar problemas de saúde com as Fotos Kirlian, apesar da medicina brasileira não aceitar tal equipamento comprovadamente científico como um método de diagnóstico.

Através de suas pesquisas, detectou-se uma série de sinais, cores e imagens nas fotos Kirlian padrão Milhomens que visualiza-se diversas patologias orgânicas (tais como infecções, inflamações, dores e/ou processos degenerativos) pelo mapa dos 10 dedos das mãos, além de ser possível verificar-se algumas desordens energéticas, emocionais, sentimentais e psíquicas.

Apesar de entender que os cientistas que desenvolveram esses métodos dizerem que não é visualizado os campos mais sutis da matéria (campo etérico e astral), nas minhas recentes pesquisas verificou-se que parte do Halo demonstrado nos bioeletrogramas tem uma enorme relação com os campos sutis do ser humano. É claro que devemos levar em consideração que, infelizmente, muitos cientistas da época que desenvolveram estes estudos não sabiam ainda da existência da física quântica, algo recente na história da ciência humana.

Através dessa técnica, faço uma análise detalhada, identificando sinais importantes para indicar um tratamento terapêutico complementar, holístico e integrativo mais adequado para cada caso. Os itens que são possivelmente visualizados nas Bioeletrografias e que podem ser trabalhados de forma holística e complementar são:

Área Psíquica e Emocional:
  • Estado de ego normal, forte ou fraco determinando possíveis máscaras que criamos ao longo de nossa vida.
     

  • Polaridades energéticas: Excessos ou Ausência de energias Ying ou Yang, podendo causar apatia, hiperatividade mental, insônia, falta de ânimo ou vitalidade, cansaço sem motivo aparente, desgaste emocional ou até descaso com a própria vida.
     

  • Estados emocionais diversos como preocupação, ansiedade, angústia, conflitos, raiva, ira, ódio, revolta, decepção, desilusão, traição, inveja ou cobiça. Todas essas emoções de maneira excessiva ou descontrolada desarmonizam nosso campo emocional, psíquico e energético, podendo causar patologias sem causa aparente.
     

  • Estados de depressão: ausente, leve, grave ou profundo.
     

  • Sentimento e/ou complexos de culpa gerando sentimentos de autodestruição e falta de amor próprio.
     

  • Estado de Melancolia ou Tristeza muitas vezes ligados à algo do passado que não consegue se desvencilhar.
     

  • Cansaço, esgotamento físico ou estresse: essas sensações podem acarretar em baixa imunidade e esgotamento orgânico, ocasionando em muitos casos de infecções.
     

  • Alterações na sexualidade: exuberante, indiferente, homossexualidade não aceita nem assumida, narcisista ou frigidez, são casos que o não reconhecimento em si próprio podem fazê-lo sofrer muito emocionalmente, gerando muitas vezes sentimentos ruins e de autodestruição e até em pensamentos suicidas.
     

  • Estados alterados de consciência e a presença de energias metafísicas, identificando a possibilidade que o cliente possui em lidar com as questões além da matéria física.

Área Fisiológica:
  • Possíveis casos de intoxicação do organismo devido vários fatores, tais como poluição, falha no processo excretório, excesso de medicamentos ou outras substâncias.
     

  • Possibilidade de neoplasias ou tumores.
     

  • Possibilidade de processos alérgicos.
     

  • Possibilidade de desequilíbrios neuroendócrinos.
     

  • Possibilidade de desequilíbrios hormonais.
     

  • Possíveis casos de Infecção, Inflamação, Dor ou Processo Degenerativo nos seguintes órgãos/glândulas: cérebro, meninge, olhos, vias aéreas, mandíbula, arcada dentária, garganta, coluna vertebral, intestino delgado, cólon transverso e descendente, sigmoide, reto, circulação, rim, linfa, estomago, fígado, pulmão, pineal, hipotálamo, pituitária, timo, suprarrenais, sistema urinário e genital, artérias, íleo, jejuno, duodeno, bexiga, próstata, glândulas mamárias, baço, pâncreas, apêndice.

Pesquisas de Carlos nesta área da Bioeletrografia

Carlos Moraes, além de terapeuta, é pesquisador na área de plantas medicinais e tudo que envolve o uso de produtos naturais nesta área da Bioeletrografia. Suas pesquisas estão em andamento usando a Bioeletrografia ou fotos Kirlian para conhecer mais detalhadamente a energia das plantas, dos óleos essenciais, óleos essenciais vibracionais, águas floridas e, ainda, dos nossos pets (cachorros e gatos de estimação).

Através da curiosidade, vão surgindo algumas respostas interessantes nas pesquisas que envolve a energia das ervas e das plantas medicinais que popularmente são usadas a milênios e vemos que tem realmente fundamento estas culturas populares.